Thursday, 18 September 2008

ESPELHO, ESPELHO MEU...


Desde que sou escrava do Senhor JB eu estou :

mais desavergonhada
menos complicada
mais essencial
menos ciumenta
mais exigente comigo mesma
mais indulgente com os outros
mais tranquila
mais positiva
mais genuína
mais equilibrada
mais assertiva
mais prática
mais tolerante
menos egocêntrica
mentalmente mais arrumada
mais atenta
mais pontual
mais criativa
incomparavelmente mais livre
muito, muito mais feliz

(e até já gosto mais das minhas mamas)


3 comments:

Vanderdecken said...

... tudo coisas que quem já tenha tido uma escrava, ou sido escrava, compreende muito bem.

Beijos

Vanderdecken said...

P.S.: De que é que não gostavas nas tuas mamas? Se são ao gosto do teu Dono, é o que importa.
Beijos

Sua escrava said...

É muito bom falar para quem entende. Há coisas muito difíceis de transformar em palavras, sobretudo sensações e outras mais subtis que passam completamente ao lado de quem nunca as experimentou...
P.S. Nunca gostei das minhas mamas, sempre as achei demasiado grandes e também nunca as senti apreciadas.
O meu Dono costuma dizer em tom de brincadeira que tenho umas mamas boas, embora um bocado pequenas ehehe
E tenho um amigo que diz que não tenho mamas, tenho um parque de diversões.
Também é verdade que muitas vezes nos vemos de forma diferente daquilo que somos e também do que os outros veem, a essa zona das relações interpessoais chama-se "área cega" ou "eu cego" e eu acho que se aplica ao que se apreende com os olhos também, basta ver o caso da anorexia. Enfim, como tu dizes e com toda a razão, é que são ao gosto do meu Dono e isso é que importa! Beijos, muitos, gosto de falar contigo.