Tuesday, 8 January 2008

DAS ORDENS


Suponho que, para uma escrava, uma ordem tenha o mesmo efeito que tem para uma mulher livre uma caixa de bonbons, uma jóia, um convite para jantar num sítio especial. Uma ordem é como um presente do Dono. É uma forma de atenção, uma demonstração de interesse. Mais do que isso, uma ordem cria uma ligação privilegiada e instantânea entre Dono e escrava.

Ao dar uma ordem, o Dono põe em movimento uma forte energia que envolve a escrava, como se lhe desse corda. Entre o momento em que recebe a ordem e a dá como cumprida, há um instante e a eternidade, há uma explosão de sentimentos, de emoções que vem ao de cima como bolhas de ar em água a ferver.

Uma ordem é uma ferramenta poderosa na mão do Dono, uma forma de excelência de manter a escrava ligada. Pensar que o objectivo de uma ordem é simplesmente ser cumprida, é esvaziá-la do conteudo, é fixar-se na forma. Só quem já sentiu o poder de dar uma ordem ou o sublime prazer de a cumprir pode entender a extensão do que estou a dizer aqui.
A autoridade do meu Dono baseia-se na razão. Quando me dá uma ordem, sabe de antemão que posso cumpri-la. Mesmo que eu não saiba disso. Nem que eu tenha de rabiar e fazer malabarismos.

Quando o meu Dono me dá uma ordem, toda eu estremeço. Sinto piquinhos pelo corpo todo e quanto mais transtorno me der cumprir a ordem, mais excitada eu fico. Quanto mais exigir o meu Dono, quanto mais intransigente for no seu cumprimento integral e eficaz, apesar do grau de dificuldade e quanto mais aparentemente incompreensível a ordem, mais eu me deleito.
É como se, apesar da distância física, eu sentisse a Mão do meu Dono sobre mim o tempo todo, sentisse o Seu poder envolver-me como um redemoinho, a Sua vontade empurrar-me como uma monção.


4 comments:

Puppy said...

Como te entendo... Comigo acontece o msm!
Aceita um beijo meu

puppy

Cármen Neves said...

Querida, ao ler os teus textos, fico imaginando a cena!Expressivo! Beijos.

Sua escrava said...

puppy, é bom, não é? só quem já sentiu pode entender. beijos, espero ver-te por cá.

carmen, imaginar é bom, mas melhor ainda é viver...beijos

Cármen Neves said...

Querida, como não tenho um Dono, tenho que me contentar, imaginando ao ler os teus maravilhosos textos!Beijos e cumprimentos ao Senhor JB.